Caracterização Geral

1. Estrutura da Edição

A edição das Obras Completas de Aristóteles está dividida em quatro partes, agrupando respectivamente os tratados conservados, as obras fragmentárias, os escritos apócrifos e a bibliografia e índices.

As quatro partes subdividem-se em catorze volumes, cada um dos quais com um número variável de tomos, que totalizam, no conjunto, quarenta e três, de acordo com o esquema constante no plano da edição.

Em geral, todas as edições são preparadas expressamente para o projecto, tanto do ponto de vista da tradução como do do comentário de esclarecimento, pelos seus colaboradores científicos. São excepção algumas traduções recentemente publicadas, que, pela sua qualidade, se tem procurado integrar no programa editorial mediante a autorização dos autores e/ou a celebração de protocolos de articulação com o promotores ou editores.

O cronograma geral da edição é apresentado em página própria.

2. Características da Edição

Todos os textos publicados são constituídos por introdução, tradução e notas, acompanhados de um glossário com os principais  termos do texto  traduzido, no original  e na ou nas  traduções  adoptadas, uma bibliografia contendo  todas as obras mencionadas e índices remissivos.

A introdução é sempre curta, clara e informativa, orientando-se fundamentalmente, de acordo com os objectivos que norteiam a edição, para o esclarecimento do texto traduzido e dos critérios seguidos na tradução. Em conformidade, e de acordo com as características de cada texto, a introdução consta tipicamente de: um breve enquadramento histórico da obra traduzida; um esquema da estrutura do texto; uma apresentação geral dos seus conteúdos; uma breve introdução filosófica; a explicitação dos critérios seguidos na tradução.

As traduções são feitas a partir da língua original (grego, latino ou árabe) em que o texto foi redigido e seguem as edições de referência indicadas no primeiro volume, independentemente das demais edições e traduções compulsadas. A divisão tradicional da obra em livros e capítulos é integralmente respeitada, tendo o tradutor a liberdade de lhes atribuir títulos, entre parêntesis rectos, desde que esta opção seja expressamente mencionada e justificada na introdução. Algumas sugestões de uniformização geral dos critérios de tradução, no que toca aos conceitos centrais de Aristóteles, são apresentadas, discutidas e justificadas no último estudo incluído no primeiro volume.

Finalmente, ainda dentro do espírito que enforma o projecto, as notas de rodapé são exclusivamente reservadas para: esclarecimento de nomes, citações, episódios históricos, etc., mencionados por Aristóteles; remissão para outras passagens da mesma obra ou para outra obra; identificação de expressões e conceitos introduzidos; esclarecimento de termos, formas e locuções; elucidação de passagens e argumentos pouco claros ou controvertidos; indicações bibliográficas complementares; curtas interpretações de conteúdos; sugestão de pistas de desenvolvimento. Qualquer interpretação mais extensa é remetida, em nota, para um apêndice, a figurar no final do volume.

 

CONTACTE-NOS

9 + 10 =